Acessibilidade

Amputação: o que é, quais são as causas e como funciona a reabilitação?

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem, no Brasil, mais de 470 mil pessoas que são amputadas. A amputação nada mais é do que a remoção cirúrgica de uma extremidade ou membro, podendo ser realizada de forma completa ou apenas parcial. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que são feitas, anualmente, mais de 80 mil amputações no Brasil.

Pouca gente sabe, mas a amputação é um dos tipos mais antigos de procedimentos cirúrgicos da história da humanidade, como forma de cuidar os feridos de guerra. O Dr. Drauzio Varella, em entrevista para o portal UOL, ainda complementa essa informação trazendo um panorama histórico sobre as amputações na medicina. Para conferir a entrevista completa, clique aqui.

Enquanto nos EUA a maior parte dos procedimentos são causados por doenças cardiovasculares, aqui no Brasil, a razão mais comum, de acordo com a OMS, é a diabetes, que representa 70% de todos os casos. Independentemente do motivo, perder um membro nunca é fácil. A amputação pode afetar tanto o nosso físico quanto o nosso mental e, de fato, muda a rotina.

Para quem acabou de passar por isso ou ainda vai passar, decidimos reunir uma série de informações importantes que podem ajudá-lo a lidar com este novo normal. Além disso, é sempre bom contextualizar o procedimento, certo?

Nesse sentido, organizamos este artigo da seguinte maneira:

• Causas da amputação
• Por que pode ser importante amputar?
• Como as amputações são feitas?
• Etapas da amputação
• Amputação e reabilitação

Causas da amputação

Como dissemos anteriormente, a diabetes ou doenças cardiovasculares são as causas mais comuns da amputação. Entretanto, não são as únicas e elas variam de acordo com a fase da vida. Por exemplo, é comum que crianças que nascem com algum tipo de má formação, como a malformação congênita, podem necessitar de amputação, caso a cirurgia corretiva não seja possível.

Em adultos, também podem causar amputação:

• Tabagismo;
• Sedentarismo;
• Varizes;
• Tumor cancerígeno no osso ou músculo;
• Infecção grave;
• Choques elétricos;
• Acidentes como trânsito, máquinas, explosões, entre outros.

É clichê, nós sabemos, mas a verdade é que cada caso é um caso e essa lista não é uma verdade absoluta. Isso significa que você ou algum conhecido pode ter passado por isso, mas, depois da avaliação médica, outras possibilidades de procedimentos e/ou tratamentos são indicadas.

Por isso é tão importante buscar um médico especialista e realizar todos os exames necessários. Só assim você pode ter certeza do que é melhor para o seu caso.

Por que pode ser importante amputar?

Pensar em amputar um membro sempre dá medo. Como será a vida sem o membro com o qual eu convivo desde que nasci? Como será a reabilitação? Eu não posso manter o meu membro? Mas saiba que, dependendo da situação, a amputação é importante até para evitar o agravamento da doença.

Nesse sentido, a amputação pode ser necessária se você:

• Tem uma infecção muito grave no seu membro;
• Teve gangrena em determinado membro;
• Sofreu um trauma sério em seu membro, como um ferimento por explosão ou esmagamento;
• Vive com um membro deformado e limitado em termos de função ou movimento;
• A amputação, em geral, é o último recurso e pode salvar vidas, tratando problemas vasculares causados por diabetes ou paralisando infecções.

Como as amputações são feitas?

Para realizar a amputação, é preciso de autorização do paciente. Nos casos em que ele não pode decidir, como uma pessoa em coma, por exemplo, é a família quem autoriza e assina um termo.

Assim como o paciente, toda a família passa por um processo de acompanhamento e acolhimento. Há uma equipe multidisciplinar, com ortopedistas, psicólogos e assistentes sociais. Esse acompanhamento acontece, inclusive, depois da cirurgia, que é o momento mais difícil entre as etapas da amputação, tema da próxima seção.

Etapas da amputação

Para esclarecer como funciona exatamente a amputação, decidimos organizar em três fases principais: antes da cirurgia, durante a cirurgia e depois da cirurgia. Confira cada uma delas a seguir!

Antes da cirurgia

Como dissemos anteriormente, há toda uma equipe para orientá-lo neste momento. Essa equipe multidisciplinar vai elaborar uma espécie de guia, que será o seu plano de reabilitação. Nesse mesmo sentido, a UNESP desenvolveu um guia de orientações ao paciente amputado, que pode ser acessado aqui.

Existem uma série de exercícios e alongamentos que podem facilitar e agilizar o processo de cicatrização. Além disso, em alguns casos, você também poderá utilizar uma prótese. A sua equipe de reabilitação estará à disposição para auxiliá-lo em possíveis dúvidas, preocupações e na aplicação de seu plano de reabilitação.

Durante a cirurgia

Durante a cirurgia, além de amputar o membro específico, o cirurgião também vai fazer uma limpeza de todo o tecido danificado ou possíveis ossos esmagados. Mas fique tranquilo, pois para este processo você receberá uma anestesia.

De qualquer forma, você pode conversar com o seu médico para entender quais serão os procedimentos cirúrgicos.

Depois da cirurgia

Sem dúvidas, um dos momentos mais difíceis de todo esse processo é o que vem depois da cirurgia. Em especial, nas primeiras semanas, quando você vai começar o processo de dessensibilização da região amputada. Isso significa que você vai aprender a lidar com diferentes sensações, controlar a dor e até entender o que chamamos de sensações fantasmas.

Amputação e reabilitação

A reabilitação é um processo que varia de acordo com o desenvolvimento do paciente. O sucesso da reabilitação varia de acordo com uma série de fatores, entre elas:

• Nível e tipo de amputação;
• Tipo e grau de quaisquer deficiências e deficiências resultantes;
• Saúde geral do paciente;
• Apoio da família.

O objetivo da reabilitação após uma amputação é ajudar o paciente a ganhar mais independência e autonomia. Ao mesmo tempo, garantir uma melhora na qualidade de vida, seja ela física, emocional ou social.

Agora com esse artigo, você já tem as informações essenciais sobre a amputação e o processo de reabilitação. É muito importante definir uma equipe multidisciplinar qualificada para desenvolver e acompanhar o seu plano de reabilitação. Para quem precisar de cadeira de rodas, a Ortoponto oferece os melhores modelos com preços muito especiais!

Gostou desse texto? Então siga a gente no Instagram ou Facebook para acompanhar os próximos conteúdos.